História e Cultura - A Estátua da Liberdade

Olá pessoal...
Hoje eu estava pensando em algum tema de postagem novo para o blog, e tive a ideia de falar sobre História e Cultura (Coisas que, geralmente, agrada quem gosta de ler). Nesses posts irei falar sobre a história de lugares, monumentos e pessoas que já foram ou ainda são importantes. Para começar, o primeiro "História e Cultura" irá falar da "The Statue of Liberty" ou "Estatua da Liberdade".
Eu achei algumas fotos da sua construção. As fotos são bem antigas, mais são bem legais!

A Estátua da Liberdade, cujo o nome oficial é "A Liberdade Iluminando o Mundo, é um monumento inaugurado em 28 de outubro de 1886, em uma ilha de entrada do Porto de Nova Iorque.
O Monumento comemora o centenário da assinatura de Declaração da Independência dos Estados Unidos da América e é um gesto de amizade da França com o país. Projetada e construída pelo escultor alsaciano Frédéric Auguste Barthodi (1834-1904), que baseou-se no Colosso de Redes para edificá-la. Para a construção da estrutura metálica interna, Bartholdi contou com a assistência do engenheiro francês Gustave Eiffel, o mesmo arquiteto da Torre Eiffel.

A estátua, que tem em torno de 93 metros, foi um presente dado por Napoleão III, como uma forma de premiação aos Estados Unidos, após uma vitória em batalha travada contra a Inglaterra.
O projeto sofreu vários atrasos porque naquela época não era conveniente do ponto de vista político que, na França imperial, se comemorassem as virtudes da ascendente república norte-americana. Não obstante, com a queda de Napoleão (em 1871), realizou-se a ideia de um presidente aos Estados Unidos. Em Julho daquele ano, Bartholdi fez uma viagem aos Estados Unidos e encontrou o que ele julgava ser o local ideal para a futura estatua, uma ilhota na baía de Nova Iorque, posteriormente chamada Ilha da Liberdade.
Bartholdi, cheio de entusiasmo, levou a diante seus planos para a estátua. Tornou-se patente que ele incorporava símbolos da Maçonaria em seu projeto - a  tocha, o livro em sua mão esquerda e o diamante de sete espigões em torno da cabeça, como também a tão evidente inspiração ligada à deusa Sophia, que compõem o monumento. Segundo os iluministas, por meio desta foi dado "sabedoria" nas ideias da Revolução Francesa. O presidente foi, portanto, uma lembrança do apoio intelectual dado pelos americanos  aos franceses na sua revolução (em 1789).
A estátua foi montada em solo francês e ficou pronta em 1884, sendo então desmontada e enviada para os Estados Unidos da América em navios, para ser remontada em seu lugar definitivo. A construção do pedestal que serve como base do monumento ficou a cargo dos norte-americanos. No dia 28 de outubro de 1886 milhares de pessoas acompanharam a cerimônia de inauguração da estátua. 
Funcionou como farol de 1886 a 1902, tendo sido pioneiro na utilização elétrica dentre os faróis, que até então utilizavam-se tochas no lugar de lâmpadas elétricas.
Inicialmente os visitantes podiam subir por escadas até a tocha da estátua, entretanto em  1916 (durante a Primeira Guerra Mundial), houve um ato de sabotagem coordenado pelo governo alemão, que danificou a tocha e um pedaço do vestido da estátua. O episódio ficou conhecido como "explosão Black Tom". Após o acontecimento não foi mais permitida a visita na tocha.
A estátua sofreu uma grande reforma em comemoração do seu centenário, sendo reinaugurada em 3 de julho de 1986. Essa reforma custou $69,8 milhões. Foi feita uma limpeza geral na estátua e na sua coroa corroída (pelo tempo) foi substituída. A coroa original está exposta no saguão. Na festa de restauração, foi feira a maior queima de fogos já vista nos Estados Unidos até então. 

A estátua por dentro:


Depois do atentado terrorista de 11 de setembro, que resultou no desabamento das torres gêmeas, a subida à coros foi proibida, por motivos de segurança. Porém, em 4 de julho de 2009 a visitação foi reaberta, depois de o anos fechada ao público.
A cidade de Paris também possui três monumentos semelhantes a Estátua da Liberdade, que foram utilizados como modelo para a construção da estátua doada aos Estados Unidos. O maior deles fica na extremidade da Île des Cygnes, na altura da ponte de Grenelle e estpa voltada para o oeste, em direção à estátua original, em Nova Iorque. 
A segunda réplica está dentro dos Jardin du Luxembourg, e foi presente de Bartholdi ao Musée de Luxembourg em 1990. Esta é feita em bronze e serviu como modelo para a construção da original. 
Existe duas réplica no Brasil, uma no Rio e outra em Alagoas. 

Veja mais algumas fotos da construção da estátua:

Pessoas acreditam que a estátua tem um simbolo secreto, escondido. O canas History transmitiu uma reportagem investigando esse simbolo. O vídeo fala bastante da história da estátua, e é muito interessante. 


Espero que tenham gostado. Comentem aqui em baixo e sigam o blog ao lado >> .



2 comentários:

Gostou? Comente: